verdeSintra

A história de um autocarro que já era
verde mas tornou-se ainda mais verde


Serra acima, serra abaixo, o autocarro dos Parques da Pena & Monserrate transporta turistas para conhecer o que Sintra tem de melhor para oferecer. Sendo Sintra um refugio natural e património da Unesco, faz todo o sentido a utilização de autocarros eléctricos, amigos do ambiente, que estão em sintonia com os valores que Sintra representa.

Esta é a história de um autocarro que já era verde mas tornou-se ainda mais verde, ao converter as suas baterias de Chumbo para Lítio.

 

 

Começando pelo principio porquê esta conversão ?

A utilização de tecnologia de lítio, traz várias vantagens, que podem ser resumidas em :

  • Menor manutenção: O chumbo obriga a uma verificação sistemática dos níveis de liquido e colocação regular de água destilada nas baterias. Com lítio, estes procedimentos não são necessários.
  • Menos custos operacionais: As baterias de chumbo necessitam substituição entre ano a ano e meio de utilização, enquanto o lítio tem um ciclo bastante longo de vida útil.
  • Menor degradação dos componentes: As baterias de chumbo são ácidas o que provoca corrosão nos componentes da carroçaria. O Lítio não provoca este efeito.
  • Mais autonomia: O peso das baterias de Lítio é substancialmente menor e como tal tem impacto positivo na autonomia.

 

Com este racional, decidiu-se avançar com a conversão e o primeiro passo do projecto foi procurar baterias. Da pesquisa tomou-se a decisão de utilizar baterias cujo o fabricante não pode ser revelado mas que está apenas focado em carros eléctricos e tem uma larga legião de fãs.

 

Foi necessário desenhar uma solução à medida que fosse compatível com o espaço disponível para a sua colocação e funcional com os componentes já existentes no autocarro.

A caixa de protecção das baterias, foi concebida utilizando programas de desenho computacionais, que permitiu uma  simulação 3D muito real de volumes e espaço de colocação. A caixa foi produzida com a utilização de Inox para garantir uma maior durabilidade e com um excelente compromisso peso/protecção.

 

 

As baterias que foram colocadas têm uma capacidade de 20 kW.

O maior desafio e consequentemente a maior satisfação, foi o planeamento e execução do sistema que permite o controlo da temperatura e monitorização do estado de carga e capacidade da bateria.

Em termos de tempos de projecto, estamos a falar de sensivelmente um mês, sendo que está englobado o orçamento, desenho, montagem dos componentes, ligações eléctricas  reprogramação do controlador e criação da placa de controlo da temperatura.

 

 

Foi igualmente importante o tratamento do local onde as baterias iriam ser colocadas pois as anteriores baterias de chumbo, ao ter ácido, causam degradação dos componentes.

Ao longo do processo foram sendo realizados vários testes e obviamente testes finais de terreno.

 

 

O autocarro foi entregue no dia 16 de Março e vai iniciar-se um segundo, que devido à aprendizagem e optimização de processos, vai demorar menos tempo a converter.